Conheça 5 riscos do investidor que não investe em due diligence de qualidade.

Na hora do pitch, os projetos das startup costumam ser sedutores. São ideias disruptivas, produtos e serviços inovadores, modelos de negócios altamente escaláveis e empreendedores super motivados para fazer acontecer.  No discurso de venda qualquer empresa é livre para dizer que será o próximo unicórnio. Até porque muitas já vieram com essa promessa e isso, de fato, aconteceu =)  No entanto, concretizar o negócio com investidores diligentes e acostumados a analisar tecnicamente empresas com potencial de crescimento é um processo que envolve muitos detalhes.  Acima de tudo, os investidores precisam ter em mãos informações sólidas sobre o negócio e que, nem sempre, são visíveis nas primeiras análises.  Por isso, entre as diversas etapas que precedem o aporte de capital, existe uma lição de casa fundamental para os investidores: contratar um serviço de due diligence alinhado com a estratégia da negociação para conhecer quais são as oportunidades e os riscos ocultos.  Uma due diligence realizada de forma adequada por profissionais experientes em operações de fusões e aquisições, permite a ciência e o tratamento dos eventuais riscos existentes  Entre os riscos mais importantes estão:   1. Passivos trabalhistas e tributários que podem comprometer o investimento ou a capacidade de pagamento da empresa. Em última instância, os Investidores podem responder junto com a Empresa.    2. Inconsistência de dados (como controle de custos, despesas e formação de preço) podem comprometer o plano de negócios.    3. Eventuais fraudes na operação que comprometem os resultados financeiros e de reputação.    4. Cap Table sem controle e não contabilizado ou não negociado que pode se tornar uma dívida da empresa.    5. Tributação incorreta que pode comprometer a margem de lucro.   A compreensão dos riscos e sua extensão ajuda os Gestores de Capital de Riscos a cumprirem seu dever de diligência perante aos Investidores e concentrarem seu tempo em negócios com verdadeiro potencial de crescimento.  Nesse sentido, estar assessorado por especialistas ambientados com este tipo de operação e experientes faz toda diferença.   Photo by Zan Ilic on Unsplash

Na hora do pitch, os projetos das startup costumam ser sedutores. São ideias disruptivas, produtos e serviços inovadores, modelos de negócios altamente escaláveis e empreendedores super motivados para fazer acontecer.

No discurso de venda qualquer empresa é livre para dizer que será o próximo unicórnio. Até porque muitas já vieram com essa promessa e isso, de fato, aconteceu =)

No entanto, concretizar o negócio com investidores diligentes e acostumados a analisar tecnicamente empresas com potencial de crescimento é um processo que envolve muitos detalhes.

Acima de tudo, os investidores precisam ter em mãos informações sólidas sobre o negócio e que, nem sempre, são visíveis nas primeiras análises.

Por isso, entre as diversas etapas que precedem o aporte de capital, existe uma lição de casa fundamental para os investidores: contratar um serviço de due diligence alinhado com a estratégia da negociação para conhecer quais são as oportunidades e os riscos ocultos.

Uma due diligence realizada de forma adequada por profissionais experientes em operações de fusões e aquisições, permite a ciência e o tratamento dos eventuais riscos existentes

Entre os riscos mais importantes estão:

1. Passivos trabalhistas e tributários que podem comprometer o investimento ou a capacidade de pagamento da empresa. Em última instância, os Investidores podem responder junto com a Empresa.

2. Inconsistência de dados (como controle de custos, despesas e formação de preço) podem comprometer o plano de negócios.

3. Eventuais fraudes na operação que comprometem os resultados financeiros e de reputação.

4. Cap Table sem controle e não contabilizado ou não negociado que pode se tornar uma dívida da empresa.

5. Tributação incorreta que pode comprometer a margem de lucro.

A compreensão dos riscos e sua extensão ajuda os Gestores de Capital de Riscos a cumprirem seu dever de diligência perante aos Investidores e concentrarem seu tempo em negócios com verdadeiro potencial de crescimento.

Nesse sentido, estar assessorado por especialistas ambientados com este tipo de operação e experientes faz toda diferença.

Photo by Zan Ilic on Unsplash

Marcela Huertas